PERFIL

18 de novembro de 2011

O que significa?



Chamam ele de amor. Mas seja lá qual for o nome, ou quem o classifica, pode apostar que eu não o entendo. Que sentimento tão poderoso é esse? Ok, mas eu não falo do amor que você sente pelos seus pais, irmãos, amigos e até o amor que você sente pelo seu cachorro. Esses são misteriosamente diferentes. Como se já fossem postos na sua formula, quando foram te fabricar. Eu estou falando daquele, que também chamam de amor, por um ser totalmente desconhecido. Alguém que você nunca viu na sua vida, ou até viu algumas vezes, ou até passou a vida junto dele, mas só demais de muito tempo descobriu que existia algo mais. Que amor é esse capaz de modificar vidas, de salvar pessoas da solidão, da necessidade de se apegar a outra pessoa e conviver com ela pelo resto de sua vida. Eu acho tão sem explicação.
Quantas mil teorias você já ouviu sobre o amor? Eu já perdi minhas contas. E frases? Quantas? São tantas em? Historias, livros, poemas, cartas, sonhos, idealizações. Ok. É o bastante. Ele domina o mundo!
E são tantos tipos de amor, mas tantos que se eu fosse detalhar cada um deles, nossa, demoraria horas. Mas enfim, como eu já havia dito, eu não entendo nenhum deles.
Mas fico me perguntando que amor seria capaz de dominar, de submeter e fazer infeliz o ser amado. Deve ser aquele do tipo - "Ele me bate, mas eu sei que ele me ama." ou talvez aquele - "Ele me diz coisas terríveis, mas no fundo eu sei que ele me ama." - Por favor, aonde fica esse fundo?
Pois é, de uns tempos pra cá esse sentimento passou a me assustar mais do que me conformar. Confesso que venho a muito lutando para expulsa-lo de uma vez da minha vida. Mas eu falo do amor de amar, entende? - Paixão, que na verdade chamam de amor, que no fim das contas não acaba sendo nenhum nem outro. Porque uma coisa é certa, do mesmo jeito que ele começa ele termina. Nos dias de hoje, não tenha duvidas disso!
Pois é, sinto lhe dizer, mas você não ira se casar com seu atual namorado. E se casar, seu casamento não irá durar. Sabe porque? Porque amar esta muito fácil ultimamente. Hoje em dia de ama a tudo, ou a todas. E homens sabem, especialmente separar amores. Há se sabem! Os invejo. Mas enfim, são tantas opções, tantas percas, e tantas decepções que nos tornarmos descrentes de que amar vale a pena.
Mas, enquanto houver esperança, continuem amando. Quem sabe um dia, quando eu descobrir o que realmente significa amar, eu possa compartilhar isso com vocês.

2 de novembro de 2011

Aconteceu .


Por muito tempo eu venho procurando sobre o que escrever. Eu estou em um momento tão neutro da minha vida que mal sei o que esta me acontecendo realmente. As vezes estou bem, as vezes bem demais, as vezes nem sei o que estou sentindo, mas esse tempo todo não venho me sentindo mais tão exausta e triste a ponto de atualizar meu blog. Pode parecer loucura, mas eu não sei escrever sobre felicidade. Principalmente sobre a minha, que a muito tempo eu achei que tinha perdido em algum lugar muito distante. Mas não, eu ainda não estou 100% forças renovadas. Algo ainda me machuca, raramente, mas machuca. Eu não queria denominar isso que eu sinto, isso que ainda persiste la no fundo de mim. Por enquanto eu prefiro apenas chamar de "isso". Eu geralmente falo de mim, sem parecer que é pra mim, mas hoje estou aberta a dizer que tudo que passei, e foram muito momentos, não fazem mais sentido nessa vida que estou tendo. E como eu já disse, nem eu sei o que esta acontecendo, esta tudo tão calmo e eu sinto meu coração bater apenas pra me manter viva. Sem emoções, sem borboletas no estômago, sem sonhar acordada com futuros paralelos. Estranho! Eu geralmente gostava de me sentir apaixonada. Eu acho que eu era uma pessoa melhor quando algo se metia na minha vida. Hoje eu me vejo metida nos relacionamentos dos meus amigos, apenas dando minhas opiniões, sem comparações. E quando há comparações sou obrigada a dizer "mas isso já faz muito tempo." E faz mesmo!
É diferente fingir estar bem do que realmente estar bem. Não, pelo amor de Deus, eu não estou reclamando por estar bem, longe de mim. Mas sabe quando "aquela dor" te trazia momentos para pensar, situações para refletir e até motivos para desabafar horrores com uma amiga, algo totalmente insano? Eu sei muito bem como é isso. Ou melhor, sabia.
Eu sinto que finalizei algo que não consegui terminar, finalizei, não terminei. É como assuntos pendentes que você não consegue resolver e é obrigado a deixar aquilo no passado. A proposito, eu não gosto da palavra passado. Porque não é verdade que tudo passa!
Não existe passado pra quem tem memoria, não existe passado pra quem tem coração. Mas eu abandonei a luta, eu abandonei. Não tem pra que chorar por isso. As coisas vem e vão, nada fica. Se hoje eu estou bem, se hoje eu sou essa pessoa é porque algo muito maior estar por vir. E é como eu repito pra mim todos os dias "Foi melhor assim Jéssica".


.                                     Quem não sofre, não aprende a lutar.