PERFIL

2 de março de 2013

What is the reason? ♥



Se fosse fácil, não se chamava vida.
Quem dera viéssemos com manual de instruções, para sempre que tivéssemos alguma dúvida sobre nós era só abrir na página certa e lá estaria a solução pra tudo. Como eu queria um manual sobre mim. Talvez eu não me importasse em dar defeito as vezes, porque ai eu saberia aonde buscar ajuda pra me consertar. Quem dera!
Tantas vezes já me questionei sobre minhas ações, sobre os pensamentos que vez em quando rondam minha perturbada mente, mas em vão, porque se tem alguém que não me entende sou eu mesma. Pessoas deviam nascer com rótulos e também deviam escolher se queria viver no modo fácil, médio ou complicado. Nos meteríamos menos em encrencas!
Deus como eu queria que tudo fosse menos frustrante, que tudo fosse verdadeiro, que os desejos do nosso coração fossem levados a sério. É tão ridículo todo o esforço que somos obrigados a fazer em busca dessa tal de felicidade; em busca de nossos sonhos; em busca de padrões. Eu não vejo sentido nesse mundo, nem sei ao certo porque vim parar nele. Porque eu compreendo o significado disso tudo.
Eu vejo as coisas do meu jeito, e eu sempre tive certeza que o meu jeito de vê-las é o certo. E eu cheguei a conclusão que todo mundo nasce pela metade. E essa metade tem uma necessidade monstruosa de se completar nessa vida. É ai que o bicho pega! Porque nenhum caminho vem traçado. Nada vem de bandeja. E a nossa vida toda nada mais é do que uma incessante busca pela outra metade de nos. Ah, e tem mais, o problema não é ir atrás da outra metade, o problema é que ela é fragmentada. Nossa outra metade é um mosaico; você tem que encontrar cada peça e ir montando ele ao longo do tempo. É complicado não é?! Pois é, como eu já disse: Se fosse fácil...
E hoje, a essa altura da minha vida me pergunto quantos pedaços encontrei da minha outra parte; quanto pedaços achei que fossem o certos e só depois, com muita tristeza, descobri que não se encaixavam perfeitamente em mim, e tive que arranca-los, embora quisesse do fundo do meu coração ainda tê-los. São esses enganos que vão nos destruindo, fazendo com que nunca estejamos realmente completos.
Eu defino minha passagem por essa vida como uma eterna busca; pelo que? Sabe lá Deus o que eu posso encontrar. Se é que exista algo concreto para encontrar. E como eu não sei, o jeito é continuar procurando.
É tão injusto sermos colocar em um mundo para sobreviver. É injusto nascermos com o fardo de ter que ser melhor que os outros. É como se quando fossemos nascer alguém chegasse pra gente e nos desse um mapa, um objetivo e dissesse: - "Agora é com você. Esse caminho não tem volta."
Quem me dera eu tivesse tido a chance de escolher. De escolher se queria vir parar nesse mundo louco. Para essa época, para esse ano, para esse país. Quem me dera eu tivesse sido consultada. Melhor, quem me dera tivesse a opção de ser quem eu quisesse. Porque não um simples animal? Se tudo isso me fosse questionado... se eu pudesse hoje escolher, eu seria um pássaro. E a essa hora eu não estaria caindo nesse imenso abismo de dúvidas, pelo contrário, a essa hora eu estaria voando pra bem longe delas.