PERFIL

26 de abril de 2013

Sweet Freedom ♥



Então é isso que acontece quando o amor vai embora?
Acreditava que seria como uma extração completa sabe, daquela que arrancam algo de você, sem anestesia. Mas é completamente diferente. Talvez porque não é de imediato. Leva muito tempo para sentir essa leveza de novo. Não estou dizendo que o amor pesa dentro de nós... o que quero dizer é que certos tipos de sentimentos as vezes precisam ser reciclados para que no futuro sirva para outra coisa, ou outra pessoa.
Mas a questão é como ele vai embora... No meu caso, foi um processo lento e cheio de altos e baixos. Fui uma prisioneira da palavra eterno. Afinal, todos nós acreditamos que quando encontramos uma pessoa, ela no minimo deve passar pelo menos o resto da vida ao nosso lado. Descomplicaria tanta coisa né? Mas ai iriamos nos deparar com outra prisão. O fato é que todo mundo é livre, até o amor é livre. E sorte sua, e minha, de nos vermos livres, tanto de amores sem fim, quanto de prisões ilusórias.
E o maior engano de nossas vidas é achar que realmente existe um felizes para sempre para todo mundo. Isso é só um efeito colateral do amor. Mas assim como tudo começa, um dia termina. Não fui eu quem inventou essa regra... o mundo já nasceu sabendo que ia morrer um dia.
E assim são os sentimentos. Quando eu digo sentimentos, eu falo em particular. Não quero dizer que o amor acaba em geral, para todos que você conhece. Mas o seu amor por alguém pode muito bem deixar de existir. Antes de entender os benefícios desse fim, eu tinha medo que isso acontecesse comigo e eu não fosse mais capaz de plantar outra semente dessa no meu coração. Mas hoje eu tenho absoluta certeza que o tempo estava fazendo seu trabalho e preparando o terreno para uma nova, flor, chamada amor, florescer.  Ok, ficou meio brega isso, mas clichês são partes fundamentais de uma vida.
E como a gente sabe que finalmente acabou? Bem, ai é cada um por si. No meu caso, eu simplesmente descobri que era a hora de excluir isso da minha vida. A partir do momento que um sentimento começa a te fazer mal, a te diminuir como pessoa, te impedindo de crescer, de dar um passo a diante, você eventualmente descobre o que fazer com ele.
Certo dia eu simplesmente acordei e percebi que não tinha lembranças na minha mente, que não fazia falta, que eu não precisava disso para sorrir, que se ainda fosse amor não estaria me consumindo... eu percebi que as músicas já não me fazia chorar, que os dias estavam mais alegres e não cobertos de melancolia e tragédia. Bem, são tantos sinais que é impossível não se tocar que um caminho com espinhos foi misteriosamente trocado por um repleto de flores.
O melhor de tudo é saber que tudo finalmente acabou. Acabou de um jeito limpo, do jeito certo. Que não existem palavras para explicar o que é um coração em paz, completo de uma paz que só quem conhece é quem sente. É saber que agora eu estou por conta própria, que a minha vida agora é só minha. É como encontrar-se com a sua outra metade, você mesma. Perceber que esse tempo todo eu estava me reconstruindo, me enchendo de amor-próprio e um belo dia, tudo que era vazio se completou de novo.
E como diria Gus Walters: Eu aceito as minhas escolhas. E espero que vocês aceitem as suas.