PERFIL

28 de setembro de 2013

Something about "Do not you have a boyfriend?"



Nunca entendi essa preocupação das pessoas próximas em achar que não ter um namorado é sinal que alguma coisa esta errada com você. Porque exatamente eu preciso de outra pessoa do sexo oposto para me sentir bem?! Pois é, incompreensível.
Eu não sei até que ponto vai a minha necessidade em compartilhar informações com outra pessoa que não seja eu mesma. Eu não saiu por ai em busca de alguém para segurar a minha mão, me levar ao cinema ou pra jantar eventualmente. Envolvimento forçado é pior que solidão premeditada. Mas sempre tem alguém para buzinar no seu ouvido que você precisa de um namorado. Como se fosse a prioridade do mundo hoje em dia.

Tanta coisa mudou de lá pra cá. As coisas nunca são as mesmas depois de um antigo relacionamento. Nossos pensamentos são defensivos, nossas atitudes calculadas, como que tentando não cometer os mesmos erros, ou agir da mesma forma de antes. Embora o antes não tenha sido de todo ruim, nunca é demais se prevenir de certos sentimentos.
Por mais fácil que pareça na teoria, a prática tem uma metodologia totalmente diferente. Não é medo. Talvez se fosse eu saberia como afasta-lo. É dúvida. A incerteza pode causar um dano irreparável em algumas pessoas. Eu não sou de me jogar, de olhar a vida como algo efêmero. Nós, mesmo sabendo que o fim é um só, queremos deixar algo, queremos mostrar algo. Aparências, eu odeio aparências. Vivo me perguntando se não nasci na época errada e no pais errado. Quando eu digo mostrar algo, é no sentido de mostrar a nós mesmo, não aos outros.

Estar só nem sempre é ser só. Eu sou inteiramente completa com tudo que me cerca. Eu venho descobrindo ao longo desse tempo que a felicidade é amar. Mas não só amar outra pessoa. E sim amar alguma coisa que seja importante para você. A gente deposita toda a nossa cota de amor em cima de um alguém e nem sabe sequer se aquilo é verdadeiro. Mas mesmo assim vivemos cada momento e aproveitamos, rimos e choramos por motivos que nem tem explicação e um dia tudo aquilo acaba e você se vê perdida, sem saber o que fazer e percebe que amou demais alguém e esqueceu de distribuir esse amor para outras partes de sua vida e é ai que tudo perde o sentido. Porque não tem como ser para sempre! Outra coisa que eu aprendi na minha vida. Nada é para sempre, só os momentos são eternos. Sinta cada momento e ele se tornara infinito na sua memoria. Mas sabia administrar seu amor. Ame seu emprego, ame sua mania compulsiva de organização, ame sua melhor amiga, ame seus livros, ame seu autor preferido, ame a você cinco vezes mais antes de amar alguém. É a melhor forma de saber o que é o amor!

Eu pequei pelo excesso e hoje talvez eu esteja pecando pelo excesso de novo. Mas dessa vez são situações completamente diferentes. Não da pra ser nem mais nem menos, mas da pra ser o que você achar melhor. Não adianta se modificar pelos outros, querer aparentar algo que não quer ser para satisfazer a necessidade que os outros tem em se meter na sua vida. É claro que o cara perfeito não vai chegar na sua porta e tocar a campanhia e perguntar sorrindo - "É aqui que mora uma fulana? Porque eu queria chamar ela pra sair!". Não conte com isso. Isso só acontece em livros. Mas tudo tem seu tempo certo. Assim como tudo esta devidamente planejado. Não se culpe, não se pressione e não se sinta mal. Apenas viva, sinta e ame, mas ame todas as possibilidades.